A região de Granada

img_9189

Dia 16 de Abril de 2018, segunda-feira. Às 9 horas Tony nos pegou no hotel. Um guia bom de pedal, bom de mountain bike, Tony é uma pessoa fantástica. Guarde esse nome Pedales de Granada-Antonio Aguillera. Quando for pedalar pela região, não o faça sozinho. Procure o Tony. Se ele estiver disponível você vai ter a melhor experiência de mountain bike nos arredores de Granada. Fomos de carro até Güéjar Sierra e lá iniciamos um pedal muito interessante, com alguns trechos meio assustadores, mas sem perigo. O caminho também é uma antiga estrada de trem desativada. Fizemos uma parte por ela e na volta, foi por single track, bem forte. Muito bom.

106 Ruta del Tranvia. Guejar Sierra.jpg
007 Ruta del Tranvia. Guejar Sierra.jpg

099 Ruta del Tranvia. Guejar Sierra.jpg

073 Ruta del Tranvia. Guejar Sierra.jpg

065 Ruta del Tranvia. Guejar Sierra.jpg

089 Ruta del Tranvia. Guejar Sierra.jpg

052 Ruta del Tranvia. Guejar Sierra.jpg

Pegamos novamente o carro e descemos para Pinos Genil. Deixamos o carro estacionado e fomos de bike buscar um restaurante para almoçar. Claro que o Tony já tinha em mente um lugar muito especial à beira de um rio. Lá conhecemos o prato típico deles. Arroz caldoso e uma cerveja bem geladinha pois fazia calor.

Pino Genil 1.JPG
Após o Arroz Caldozo, vamos pedalar de volta
130 Ruta del Tranvia. Guejar Sierra.jpg

092 Ruta del Tranvia. Guejar Sierra.jpg
Tony é esse moço cabeludo no meio da gente

O carro ficou no estacionamento e seguimos dali para Granada, pedalando. O Tony voltaria em seguida para buscar o carro. Foram 10k apenas, mas o Tony, voltou a Pinos Genil para pegar o carro e ainda passou no hotel na volta de lá para deixar nossos alforjes. O sujeito pedala bem.  Ainda nesse dia experimentamos um doce local muito popular conhecido como Pionono. Vá até o Google e descubra o porque do nome Pionono. Nessa noite, tive trabalho até às 3 da madrugada.

142 Cahorros de Monachil.jpg

Dia 17 de Abril de 2018, terça-feira. Aceitamos uma sugestão do Tony e fomos, guiados por ele, conhecer os Cahorros (canyons) de Monachil. Uma experiência que vale a pena. Um trecking com uma natureza muito rica, muita água, animais, pássaros. Uma bela montanha. Uma paisagem deslumbrante. 

248 Cahorros de Monachil.jpg
234 Cahorros de Monachil.jpg
167 Cahorros de Monachil.jpg

Cahorros de Manchil 1.JPG

176 Cahorros de Monachil.jpg

189 Cahorros de Monachil.jpg

No caminho de volta, tomamos uma deliciosa cerveja e experimentamos uma azeitona que eles preparam dando uma “amassada” nelas, colocam sal e põe ao sol para secar. Mais ou menos uma azeitona passa. Muito interessante o sabor.

Voltamos para o hotel. Dia de plantão, trabalho. Saímos para almoçar e precisava ser próximo do hotel. Aproveitamos para conhecer um restaurante onde comem os que trabalham nos arredores. Frequentado por locais, não turistas. O Tio Pepe. Comemos um dos dois pratos mais típicos da região: Flamenquines. Uma espécie de bife de carne de porco à role, à milanesa. O outro prato é o Salmorejo, uma sopa fria, cremosa de tomate. À noite, a convite de Tony e Lola,  fomos tomar um sorvete para nos despedir. Claro que eles nos apresentaram o melhor sorvete da cidade. Los Italianos, na Gran Via Colón. Maravilhosas lembranças de Granada. Gracias Tony e Lola.

Cahorros de Manachil 2
De tanto a gente gritar JUMA 5000 com a mão espalmada, o Tony colocou a mãozinha na foto
Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s