Madri e Toledo

                                                        Plaza de Cibeles – Madri

Dia 25 de junho de 2017, domingo. As bikes vão descansar. Agora é turismo a pé, de trem, de ônibus. Estão previstos 5 dias. Será que aguentaremos sem pedalar? Madri é uma grande cidade. Movimentada. Cheia de turistas, carros, ambulantes vendendo muitos tenis, camisas de clubes famosos, bonés, tudo fake, coisas das grandes cidades. Mas ela é linda, maravilhosa.

   Jardim vertical do Caixa Forum. Espaço cutural patrocinado pelo Banco Caixa Geral.

Chegamos à tarde e estávamos morrendo de fome. Poucos restaurantes ofereciam serviços àquela hora. Entramos em um tailandês e demos sorte. Já estava quase vazio. Fomos bem atendidos e comemos bem. Nada espetacular. Valeu. Depois, “get lost”. Fomos andar sem rumo, sem direção, como gostamos de fazer. Não nos esqueçamos que é verão e o sol vai até mais de 10 da noite, portanto temos tempo para passear. O espaço cultural Caixa Forum chama a atenção por seu jardim vertical. Lindo. Lindo.
                  Por gostar de bikes, sempre encontramos algumas pelo caminho.
Dia 26 de junho de 2017, segunda-feira, meu plantão, mas temos o fuso horário a favor.  Continuamos nossas andanças e encontramos um city tour de bike. Agendamos para o dia seguinte. Quem disse que aguentaríamos sem pedalar. Esse bichinho pedal quando pega…
Palacio Cibeles.

Dia 27 de junho, terça-feira. Nossas bikes estavam embaladas e não queríamos desembalar e ter que embalar novamente em 4 dias. Fomos dar nosso giro de bike alugada pela cidade com um guia e mais um grupo. Foi bem interessante e recomendamos a trixi.com pra quem gosta de bike.

                                                                Parque El Retiro

Pedalando pelo parque em um dia de verão com esse céu azul, é pura diversão. Não queríamos que o dia acabasse. E olha que ele foi longo.

                                                               Parque El Retiro
                                                            Plaza Mayor
                                                         Os churros mais famosos do mundo.

Madri impressiona. Suas grandes avenidas em contraste com ruelas antigas. O Palácio Real, os Museus, do Prado, Reina Sofia. Cidade imponente, charmosa, clássica.

                                Suas ruas, seus edifícios, sua arquitetura maravilhosa.
                                                Detalhes dos postes no Palacio Real.
                              Shopping Center? Não. Estação de trem. Atocha.

Dia 28 de junho de 2017, quarta-feira, tomamos nosso desayuno e seguimos para Toledo. Um trem saindo da estação Atocha. A viagem é muito rápida pouco mais de meia hora.

                         Chegando à TOLEDO, é isso que se vê. O rio é o Tejo.

Toledo impressiona logo de cara. Chegando, já ficamos de queixo caído com o visual. Uma cidade medieval circundada pelo Rio Tejo, sim, aquele mesmo. O de Lisboa. Isso sem contar que já estávamos abobalhados com o visual da estação.

                                Estação Ferroviária de Toledo. Uma jóia arquitetônica.

    

                            As duas fotos mostram o interior da estação de Toledo.

A cada passo, aproximando-se da cidade medieval, não dá para pensar em mais nada a não ser em história. É história desde a Idade do Bronze, dos Celtas. Os chamados celtibéricos. Os romanos a conquistaram em 193 antes de Cristo.

                        A vista deslumbrante de Toledo, vindo da estação de trem.
                                          Interior da Catedral. Seu magnífico altar.

Historicamente sempre conviveram em Toledo três povos. A cidade é conhecida como muito tolerante às diferenças e se pode ver traços e construções de muçulmanos, judeus e árabes. Três religiões que conviviam harmoniosamente na cidade.

                                            Interior de uma das sinagogas.
                                                          Sinagoga mais antiga.

Encontramos no caminho uma tiroleza que atravessava por cima do Tejo e deu uma vontade enorme de experimentar a pequena aventura. Na verdade a Jussara queria ir de qualquer jeito desde que vimos um cartaz nas ruas anunciando a tal travessia.

                                       Voltando da travessia, na tiroleza.
                                             Preparando para a pequena aventura.
                             Lá embaixo o Tejo que vai até Portugal, em Lisboa.

Miguel de Cervantes o mais importante nome da literatura espanhola se inspirou nos moinhos dos arredores de Toledo para criar os “monstros gigantes” contra os quais Don Quixote e Sancho Pança lutavam. Por isso encontramos uma estátua em sua homenagem e, claro, fotografamos.

                                                    A estátua de Miguel de Cervantes.
Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s