Rumo à Lisboa 3

03/06/2017, sábado. Um pedal nada fácil nos esperava entre Ericeira e Cascais. Atravessar a serra de Sintra foi bem forte. O vento absurdo no Farol da Roca fazia a gente descer da bike e empurrar, mesmo assim com dificuldade. 

                                                             Praia Samarra

Saindo de Ericeira, logo em seguida, praia da Samarra em  São João das Lampas  dentro do Parque Nacional de Sintra, só dava pra ir encarando uma bela descida. Até aí tudo bem, “prá baixo todo santo ajuda”, mas a volta… Empurrei, não deu. Jussara, mais conhecida como “tratorzinho” subiu. Seguimos em direção à praia das Maçãs e no caminho já dava para avistar, no alto da montanha, o Palácio da Pena em Sintra.

         Com boa vontade dá pra ver a silhueta do Palácio da Pena no alto da montanha.

Para atravessar a serra de Sintra, como diria Jussara abençoados pelo arco-iris, subimos e descemos muito. Vários trechos bem íngremes, exigiram muita energia. Mas ao final encontramos um lugar bem gostoso, onde pudemos fazer um lanche e, claro, tomar uma cerveja porque depois das subidas e descidas, só uma bem gelada.

                                                         O arco-iris da Jussara.

Agora o objetivo é Cascais, mas temos no caminho, o Cabo da Roca. Que vento foi aquele!!! Não conseguíamos manter a bike em linha reta. Em alguns momentos o mais seguro era “apear do horse”. Descer da bike e empurrar.

                     “Donde a terra se acaba e o mar começa” (Os Lusíadas-Canto VIII)

                   Cabo da Roca e seu farol. Ponto mais a oeste da Europa continental.

O pneu da bike do Sergio furou mais uma vez. Eita falta de sorte do moço. Saindo do Cabo, pegamos uma bela descida até a praia do Guincho.

 

                                                             Praia do Guincho

Na ciclovia, um vento a favor. Parecia que estávamos em uma e-bike. Nem precisava pedalar. Se pudéssemos colocar uma vela, “velejaríamos” de bike. Foi muito bom. Descanso para as pernas que estavam bem judiadas, depois de 66k.

                                                       A ciclovia do vento a favor

Chegamos em Cascais. Um bom banho, um excelente banho. O Hotel Eurostars Cascais é muito confortável e bem próximo ao mar. Deixamos as bikes e fomos dar uma caminhada para apreciar o por do sol. Igual ao da foto do quarto.

 

 

Ao chegar na beira mar, fomos ver a Boca do Inferno, que recebe esse nome pelo som assustador que fazem as ondas ao bater nas rochas.

A noite chegava lentamente, já é junho e os dias são cada vez mais longos. Mas não ia demorar muito para vermos o por do sol.

 

Boa noite Cascais, voltaremos. Com certeza.

Amanhã pela manhã, Lisboa. Aqui vamos nós.

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s