Rumo à Lisboa 1

01/06/2017, quinta-feira, logo após o café da manhã o Sergio, nosso guia da Fold’n Visit chegou. Despachamos nossa bagagem e iniciamos o pedal em direção à Lisboa. Saindo de Nazaré, fomos acompanhando a costa. Passamos por Famalicão, Alcobaça, São Martinho do Porto. Aí paramos para um café. Um lugarejo em uma baía, bem tranquilo.
                   Por todo o caminho, de repente uma praia, uma enseada, uma baía.
                               Chegando a São Martinho do Porto. Vista da baía.
                           Eu e Sergio estacionando para um café em São Martinho.
                      Castelo de Óbidos – Photo by https://creativecommons.org

Fomos seguindo. Caldas da Rainha, Foz do Arelho. Desviamos e resolvemos subir um pouquinho e conhecer o Castelo de Óbidos, onde almoçamos. Passeamos por ruelas cheias de lojinhas e aproveitamos para tomar a mais famosa ginja de Portugal que é a ginja de Óbidos, claro. Ela é servida em um copinho de chocolate. A Jussara amou. Por que será?

                                               Em Óbidos, que tal um vestidinho?
                                   A ginja no copinho de chocolate. Bom demais.
                                                                     Óbidos, detalhe.
Abastecidos com um almoço leve para não dar sono, seguimos em frente. Nossa próxima parada é onde passaremos a noite.
Peniche. O caminho é tranquilo e a chegada é bem surpreendente. Uma praia cheia de surfistas. É ali uma das etapas do mundial de surf. O nosso Gabriel Medina, iria vencer em Peniche pela primeira vez, na penúltima etapa em outubro de 2017. Alguns meses depois de nossa passagem por lá. Computados os quilômetros do dia: 82k.
                                                        A caminho de Peniche
       Praia em Peniche. Lá atrás as casas, prédios, a cidade. Branca. Surpreendente.
                                               Na loja, um poster do Gabriel Medina.

Noite bem dormida. Na manhã seguinte, um belo pequeno almoço (café da manhã), seguimos a jornada. O destino, Ericeira.

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s