Porto, não dá pra esquecer

Estamos de volta ao blog depois de uma parada. Precisamos terminar de contar nossa história nessa jornada que teve que ser interrompida pois desconhecíamos o Tratado de Schengen. Esse tratado, assinado na cidade de Schengen em Luxemburgo, estabelece como permanência máxima de 3 meses para estrangeiros, nos países que o assinaram. Portanto nossa viagem que iria até Berlim e duraria 5 meses, ficou para a próxima. Mas vamos lá. De volta ao Porto, no domingo dia 21 de maio, fomos dar mais um passeio pela cidade que, definitivamente é muito bonita. Estava acontecendo uma corrida e uma caminhada só de mulheres em apoio à campanha do Câncer de Mama. Uma linda festa. Fomos em seguida conhecer Vila Nova de Gaia. A cidade do outro lado do Rio Douro, em frente à cidade do Porto. Um lado do rio Porto, o outro lado Vila Nova de Gaia.

 

Andando, andando e andando deu fome e, na hora de comer, encontramos a Taberninha do Manel. Um pequeno restaurante com mesinhas na rua com uma comida prá lá de boa. Sensacional. Clima de boteco com charme. Resolvemos experimentar um aperitivo com vinho do porto branco, que nos recomendaram dentro de uma vinícola. Porto Tônica. Igual ao gin tônica só que sem o gin. Com o porto branco. Experimentem. É muuuuuiiiito bom. E eles serviram nesses vidros fazendo vezes de copo. Após o almoço caminhamos muito pra variar, uns 12km. Valeu a pena. Além da vista da cidade do Porto pelo caminho, quando chegamos à praia na Av. Beira Mar, vimos um por do sol de chorar.

 

Voltamos para nosso flat, fomos dormir com essas imagens todas enchendo nossos olhos e a cada lembrança, um sorriso de enorme satisfação e alegria.

Dia 22 de maio, segunda-feira, após o café da manhã na Confeitaria do Bolhão, mais caminhada, explorando os últimos recantos do Porto. Tínhamos uma reserva para o almoço no Restaurante Yeatman, mais um estrelado do guia Michelin, que deixamos para nos despedir da cidade, pois além da comida muito boa, a vista do terraço onde almoçamos é absurdamente linda.

 

Após a experiência gastronômica com uma riqueza de sabores sem fim, ainda curtindo o paladar das coisas boas que comemos e do excelente vinho, aliás, vinho ruim em Portugal é difícil achar, fomos para a livraria Lello. Para quem não conhece, é a livraria que foi cenário do filme Harry Potter e Jussara não sairia do Porto sem visita-la.

E assim pegamos nossas vassouras e saímos voando pela cidade. Fomos tomar nosso lanche da tarde no mais tradicional café do Porto fundado em 1921, o Café Majestic.
Gostamos muito, mas nada se compara à Confeitaria do Bolhão, em frente ao Mercado do Bolhão, a nossa “padoca” em Portugal.

Dia 23, terça-feira, plantão GM, pois sem trabalho não tem viagem. Foi o dia também de fazer as malas pois na quarta-feira logo cedo seguiríamos viagem para Coimbra de bicicleta.

 

No nosso quarto no flat no Porto, tinha esse quadrinho. Tudo a ver com Juma. Concordamos totalmente com a frase. Prá quem não lê inglês: “Viagem – substantivo. A única coisa que você compra que te faz mais rico.”

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s