O Porto, Guimarães, Braga e encontro com amigos queridos.

Dia 12 de maio, sexta-feira, chegamos ao Porto no final do dia. Não precisamos falar muito sobre ela, não é? A foto mostra toda a beleza de uma cidade com muita história. Ela já era uma grande cidade quando os portugueses chegaram ao Brasil em 1500. Foi fundada em 1123. Quase 900 anos.

No sábado 13, logo pela manhã, pegamos um comboio (trem) na belíssima estação São Bento e fomos para Guimarães, uma cidade próxima, encontrar o Guilherme e a Pérola, amigos brasileiros que moram em Portugal, em Cascais, que estavam também recebendo a visita da irmã da Pérola, Maria Alice e seu marido Celso.

Estação São Bento- Porto
Da direita para a esquerda, Celso, Maria Alice, Guilherme e Pérola

Passeamos pela cidade que é parte importante da história de Portugal pois foi palco em 1128, dos principais movimentos políticos e militares que levaram à independência e ao nascimento do país. Andamos pelo centro histórico, suas ruelas, seu castelo (muitas cidades tem castelos maravilhosos que datam de muito tempo), nos encantamos com suas belezas milenares.

Ficamos em um hotel no alto do morro, Lapa, com vista de toda a cidade e de lá, da janela do quarto, a sorte de capturar a foto abaixo. Por uma fresta na nuvem carregada, o sol ilumina o centro de Guimarães.

Fomos também a Braga, no domingo, 14/05, outra cidade importante de Portugal. Ao chegar, demos de cara com um edifício chamado Palácio do Raio com mais de 250 anos. Restaurado e lindo.

Palacio do Raio, em Braga

O tempo estava instável, mas não choveu. Deu para ver muita coisa. A Catedral, onde aproveitamos para enviar nossas melhores energias para nossos 5 pequenos  e para os 7 pequenos dos nossos pequenos, já que estava acontecendo uma série de batizados naquela manhã. Aproveitamos para lembrar de todas as mães pois era Dia das Mães no Brasil. Também o Papa Francisco estava em Fátima celebrando os 100 anos de aparecimento da santa.

Velinhas acesas para nossas crianças e nossas mães, mães das crianças, mães das mães e mães eleitas, escolhidas, de coração.

Caminhando pelas lindas praças e ruas, encontramos estudantes que acabaram de se formar. É uma tradição chamada queima das fitas e os jovens se vestem com roupas de época. Na foto, são estudantes de verdade. Dizemos isso pois em alguns lugares, alguns jovens se vestem assim e tiram fotos com turistas em troca de uma “graninha”.

Por fim descobrimos que ir à Braga e não ir à igreja do Bom Jesus, é não ir à Braga. Portanto, lá fomos nós. E já que estávamos lá, conhecemos a igreja do Sameiro.

 

Igreja do Sameiro
Igreja do Bom Jesus
Da janela do comboio (trem), o presente para a Jussara. Até a volta Guimarães e Braga
Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s