Ora pois, muito giro 1

Casa do Ameal

Dia 06 de maio, sábado. Pátria mãe, Portugal. Chegamos na cidade do Porto e pegamos um táxi até Viana do Castelo, 75 km mais ao norte, nosso primeiro destino em terras portuguesas. A região é conhecida como região do Minho, ou seja do Rio Minho. Na chegada, ainda era dia e, surpresa, sem saber alugamos uma casinha dentro de uma linda quinta (chácara) , Casa do Ameal. Nem desembalamos as bikes porque estávamos com fome e pedimos indicações de restaurante à proprietária da quinta. Ela nos deu uma relação de restaurantes e, por sorte escolhemos, o melhor da cidade. Várias vezes indicado no guia Michelin. Um nome interessante e bem diferente para nós brasileiros. Tasquinha da Linda.

Tasquinha da Linda

Por que Tasquinha? Os portugueses chamam de “tasca”, lugar onde se vende comida e bebida. Sinônimo de baiúca, restaurante simples e de baixo preço. No caso é um lugar pequeno localizado à beira do cais do Rio Lima, mas nem simples, nem barato. Comemos muito bem e pela primeira vez tomamos um vinho verde. O vinho verde, Alvarinho, é o forte do norte de Portugal. Tem tinto e branco. O branco é sensacional. O tinto, para o nosso gosto, ficou aquém.

Juma, primeiros 44k em terras portuguesas

Dia 07, domingo, amanheceu lindo em homenagem às mães pois em Portugal se comemorou nesse dia. Fizemos um passeio de bike pela região com uma empresa, a Descubra Minho. Foi uma jornada de um dia, pedalando em meio a plantações de milho e uva, à beira do Rio Lima.  Um pic-nic no meio do caminho à beira do Rio Lima, uma surpresa do Agostinho nosso guia. Com ovos cozidos, broa de milho, salame, geléias e um vinho verde, tinto. Que deve ser bebido em uma malga ou tigelinha branca. Porque sabe-se que o vinho é bom ou não, pela tinta, pela cor que deixa na malga ou tigela. No copo de vidro isso não pode ser observado. É o que eles dizem por lá.

Chegamos até Ponte de Lima, uma vila medieval que ainda conserva muitas tradições. Era domingo e uma enorme festa acontecia. E como ouvimos falar, lá sempre tem festa. Uma festa com trajes, música e pratos típicos.

Parte da ponte sobre o Rio Lima é da época da invasão dos romanos. Uma parte dela foi construída por eles e reconstruída na era medieval mais ou menos no ano 1125.

A parte medieval da ponte
Centro antigo de Ponte de Lima
Parte do castelo em Ponte de Lima

A Ju ficou muito impressionada com o vestido de noiva preto e foi buscar a explicação no Museu do Traje em Viana do Castelo. Quem quiser saber, pergunte a ela.

 

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s